sexta-feira, fevereiro 03, 2006

free it!

Silêncio!

Não ouve? Em alto e bom som, ele está agora, neste lugar em que vc está, atrás de sua cabeça. Não adianta virar, e procurar, vc não o encontra assim.

Não não não, ele não é um mosquito levado, nem um alerquim serelepe. Ele é muito pesado. Na verdade, é imóvel, e para removê-lo são necessárias as forças de mil sóis... ou de uma palavra, ou um gesto. Mas também nem isso baste, talvez. O silêncio te despe e te cobre de uma nudez artística fotográfica, cujos efeitos de luz efetivam tanto que nem suas partes mais íntimas, seu sexo, sua vergonha e seu espírito por detrás do corpo serão tocados.

Ele não dorme. Pelo contrário: ele vigia, assobia uma canção esquecida, e te guarda dos lobos que estarão em sua porta. Vc só não o ouve avisar se não quiser.

Mas em compensação, vc está preso em sua liberdade...

Sim, é preciso abrir este tópico:

abre aspas.

Para que a idéia de liberdade exista
É preciso que haja prisão

É preciso grades
Para o pássaro encontrar o céu

Duas saídas!
Duas saídas, somente!

Você deseja não haver céu
E planeja não haver prisão

Ou você faz de onde está
A liberdade que precisa

Vc se despe das ilusões
E quer abrir as portas para uma prisão mais larga

Ou vc se deita e sonha
E se torna vc mesmo maior, maior que a gaiola

Vc se toma de esperança
vc tem nas mãos a chave da felicidade

Ou vc se toma de beleza
E tem em sua vida o poder de mudar a cor do céu.
reticências

fecha aspas.

Vc está preso em sua invulnerabilidade. O silêncio toma de vc o desejo de se tornar barulho e arrebatamento. Tem na palma da mão a linha da vida longe das outras, e toda surpresa que vc tiver, irá guardar para si, somente. Assim a gota d'água deixa de existir. Assim só o eco responde, e ele não insiste em responder por tanto tempo assim.

Sim, eu, sim, vc, quieto agora. Nas esquinas mais ermas da cidade vc não vai encontrá-lo. O silêncio vai tomar parte de vc, abandonará o ar, que se enche de letras, vozes moduladas e eletromagnetismo, e vai encontrar em vc, em sua solidão comunitária, o espaço que precisava.

E se vc não o deixar entrar, não se preocupe. Ele sempre te invade, nos momentos que vc não percebe, onde vc repousa sua cabeça. E se vc mesmo assim o rejeita, ele te achará no seu íntimo, no sonho, ou até mesmo no desejo inalcansável e na inevitabilidade do fim.

É assim que começou o mundo. É assim que tudo termina.

O silêncio é uma montanha inabalável. No seu pé, uma escola carente de estudantes e professores. Carente de ciência.


music of the day: Queens of The Stone Age - You Can't Quit Me Baby

"A Girafa, calada,
Lá de cima vê tudo
E não diz nada."
Millor Fernandes - Hai-Kais

1 Comments:

Blogger elisa said...

como diria ianne: BIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

8:35 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home