quarta-feira, dezembro 14, 2005

blindly, keep on touching it!

A maior escuridão que já adentrei foi uma noite, no sítio de adauto em SP, onde não havia estrelas no céu, a lua não aparecera ou era nova, e tudo o que se via pela frente era BREU! Os olhos fechados eram mais claros! E eu tinha que achar o caminho apalpando com as mãos até chegar na casa (acreditem! Não podia ver a casa!) para conseguir a chave para abrir o portão e deixar o carro entrar. Olhando pra trás via o farol do carro luminoso, mas iluminando somente perto dele.

Nada, absolutamente nada era visto na minha frente, e eu, sabendo q o caminho pra lá era de pedra, pus as mãos no chão e o q senti foi grama!

Desesperador.

Mas eu n caí em lago nenhum, e botando um passo após o outro, eu encontrei as tais pedras, e fui apalpando o caminho até vislumbrar algum rastro de luz pela frente!

Eu nunca vi um breu maior ao ar livre do que naquela noite, mas foi nela que eu percebi uma força minha, a do enfrentamento do medo, e nela eu tenho me abraçado ultimamente.

Este ano foi uma noite como aquela, em q me diverti à beça com o fato de a noite ter sido um breu perfeito. Ontem foi o dia em q tive q achar as pedras.

Depois daquela noite, as estrelas tomaram um sentido muito maior, se tornaram maiores em minha visão, a lua se tornou mais mística, e as escuridões não se tornaram tão escuras e, melhor, passei a andar pra frente, mesmo não enxergando nada.

Claro que não me tornei menos destrambelhado. Mas ainda não derrubei nada quebrável.

Amanhã talvez eu me perca de novo, talvez eu sinta grama e não sinta mais nada em volta e me perca com força. Mas neste momento, eu não toco nas pedras.

Estou muito ocupado em dar o passo à frente.

...

music of the day: Creedance Clearwater Revival - I Heard It Throught The Grapevine

"Amor...
Vc já amou?
(Desejo responde: Pode-se dizer que sim)
Horrível não?
(Desejo pergunta: De que maneira?)
Você fica tão vulnerável. O peito se abre e o coração tb. Desse jeito qualquer um pode entrar em você e bagunçar tudo.
Você ergue todas essas defesas. Constrói essa armadura inteira, durante anos, pra que nada possa causar mal. Aí uma pessoa idiota, igualzinha a qualquer outra, entra em sua vida idiota.
Você dá a essa pessoa um pedaço seu. E ela nem pediu. Um dia, faz uma coisa boba como beijar vc ou sorrir e, de repente, sua vida não lhe pertence mais.
O amor faz reféns. Ele entra em vc. Devora tudo q é seu e te deixa chorando no escuro. Por isso, uma simples frase como "talvez a gente devesse ser apenas amigos" ou "muito perspicaz" vira estilhaços de vidro rasgando seu coração.
(Desejo comenta: Que pitoresco!)
Dói. Não só na imaginação ou na mente. É uma dor na alma, no corpo, uma verdadeira dor do tipo entra-em-vc-e-destroça-por-dentro.
Nada deveria ser assim. Principalmente o amor.
Odeio o amor."

Neil Gaiman - Sandman #65

3 Comments:

Anonymous Juninho said...

Filhote...

o breu sempre existe... nós temos é ki conseguir lanternas pra poder enxergar o mínimo, ki seja...

Não gostei da letra ki vc postou embaixo... :/

Não é pra ser visto dessa forma... :/

Sabe ki seu pai aki tá do seu lado, né? pois é... ele tá sim... se erga e vença as dificuldades, filhote!!

Deus te abençoe...

4:29 AM  
Anonymous Ana Luiza said...

=~)

I hate it, too... Today i hate it...]
=~(

4:29 PM  
Anonymous ianniu said...

amor eh reflexivo meu querido!

2:11 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home