terça-feira, dezembro 20, 2005

do not wait a goodbye from it!

"Gostou dessa?" Pergunta o ano pra mim. Eu sorrio amarelíssimo! A vodka fez efeito nele.

"Ei! me leia algumas coisas que vc escreveu no caderno do guga!" Manda ele. Eu, tonto, me esforço para ler alguma coisa. Se ao menos minha letra fosse melhor....

...

Acho que eu daria um bom telepata....

~

A antônio Peticov

A média oligárquica das cores
Sob o ministério essenssiocrátio
Decide, nesta comemoração pela flor
Plebicitar as prefeituras da arte

~

Queres então que eu crie
Um universo à beira-mar?
Praias com areia de que ampulheta?
Águas construídas em que tear?

~

Dia encerra, dia começa
Ondas que sobem e descem
A queda de um é ascenção de outro
A graça de Deus te sustente e te pese,
mas seja tu amante de minhas trevas.
Amará ela amanhã
Hoje não que
vou dormir.....

~

Todo rio desemboca no mesmo oceano?
Todo vivo acaba na mesma morte?
Toda palavra se cala em lugar-comum?

~

Passeio Noturno
Devo fechar meus olhos mas vou me perguntando
Sou eu meus sentidos?

~

Triste sou que acompanho modo de "querer-saber" do mundo fadado já ao fracasso. Ou ao sucesso rápido e devastador. No pior Sentido.
Triste sou eu que quando os papéis me olham, devo desviar meu olhar e devo morrer e dormir.
Triste sou eu cuja hora vai ficar perdida pela vida inteira.

~

também visitei o lugar de meu 1o passeio de minha vida: O BH Mall. (...)
Visitar o Mall me deu um misto de estupefação e desinteresse, alternadamente.
(talvez por causa de uma foto, o mall é como eu imaginei... eles ainda tem neon azul no teto)

~

O mundo humano desaponta. Maravilha, mas sempre desaponta com uma tristeza que beira a revolta e confinamento. Mamam os peitos da tolerância nos estádios, obras, crises, choros, sofrimentos, prazeres momentâneos, poder & dinheiro e, por fim, natureza humana. desaponta!

~

NÃO QUERO MAIS RELIGIÕES DE PALAVRAS ONDE O SERMÃO É O ÚNICO TEMPLO!

~

As despedidas verdadeiras são feitas sem que haja olhares para trás.

~

Arrumar malas é como produzir uma tempestade às avessas.

~

Há!, Que interessante...
Vc não quer mudar, você não quer deixar o que é para trás.
Vc não quer parar de orar por mudança...
Bom... durma... Os dias nunca são tão parecidos assim uns dos outros.

~

Vamos celebrar! Observe o ritmo e acompanhe!
Feche os olhos, nãoligue para as luzes.
Balance!

Mais uma vez vamos celebrar a música.

Tenho um pensamento que é da cor do Sol.
Tenho uma palavra na mente que não sai.

Saudade bate na mesa com força
E consegue a atenção que desejava.

~

O Amor é hostil
E se alimenta de veneno dos homens.
Eu, doente, arrasto-me...

~

Moça de palavras dóceis!
Meu relógio pergunta por ti!

~

Querido eu,

Tenho certeza que nos achamos finalmente em uma casa
Cujos telhados são feitos de chocolate
Paredes feitas de biscoito...
Desculpe o delírio!
O espelho d'água tremeu
E seus anéis desfocaram
A lágrima que move a pena de meu poema.
Talvez algum dia, eu, estaremos
encobertos totalmente por aquela água.

Seu, RCL

...

Eu caio no sono, o efeito é devastador.

O ano não se embebedou. Olha pra mim com olhos escondidos na penumbra. Eu sei que sonharei com praias e céus de anil. O ano não sonha.

Eu não sei, pq estou dormindo, mas quase tenho certeza de que ele vai sair pela porta sem olhar para trás. É assim que são as reais despedidas.

music of the day: Dave Matthew's Band - Grey Street

"Porquanto
Como conhecer as coisas senão sendo-as?"
Jorge de Lima

1 Comments:

Anonymous ianniu said...

vc anda sambando?
abalado, cambaleando?

olhe, seja um malandro!
compre um terno de linho branco e sapatos novos.
não esqueça do chapéu e de um cravo.
;)

1:50 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home