quinta-feira, agosto 10, 2006

read about it!

A realização do homem de ser e continuar sendo é tão nobre quanto a de qualquer vida. Sua natureza que a grande maioria de seus indivíduos pertence a uma camada de consciência que cresceu de maneira exponencial durante os últimos séculos, O que acontecerá? Eu não faço idéia, porque agora essa consciência está chegando a um grau que começa a bater com os limites impostos por seus antepassados (que não são tão ante assim). A democracia não é mais suficiente, a ética tem sido desafiada várias vezes por polêmicas que a um instante sideral atrás não eram sequer possibilitadas por um debate, e a própria concepção das coisas mudou, como a maneira de enxergar o tempo e a luta entre o espaço e a tecnologia. O que vai acontecer? A resposta enche-me de excitação.

Obviamente tudo isso pode não levar a lugar nenhum. Pode ser que o século passado foi um grande salto e agora a humanidade passará a ficar na mesmisse de sua avançada tecnologia e sucumbirá ante sua própria arrogância como uma estrela que nasce brilhante e tornasse gigantesca até explodir-se e diminuir e transformar-se num objeto friamente clara e morrer de inanição. Como dinossauros que morrerão na plenitude de sua classe e darão lugar a uma espécie ainda mais sublime no domínio deste lugar. Como um pêndulo que se desacelera e chega a um momento que pára para voltar a se acelerar e dar movimento a um novo sentido.

Igualmente óbvio, também há a possibilidade de que assim chegue um momento em que as travas que seguravam a mente dos homens, outrora necessárias para sua sobrevivência, não sejam mais necessárias e sendo desatadas com acelerações imperceptivelmente medidas em meses até que de repente a criatividade do homem o libertasse da ignorância e alguns de seus filhos pudessem continuar a vida ainda mais sublimes que o homem, bem como os filhos de predecessores dos macacos ganharam contornos humanos. Esses filhos ou os filhos destes filhos teriam como banal o pensamento do que separa a mente do corpo, e assim livres estariam da limitação e hostilidade bio-quimico-física das 3 dimensões.

A resposta disso tudo, Graças a Deus, não está acessível, mas as canções da maravilha do desconhecido porvir é belamente poetizada em centenas senão milhares de ficções científicas que estão escritas por aí - cujos vesos são provavelmente meras substâncias de centenas senão milhares de sonhos para cada um.

...

Droga, eu já escrevi sobre isso. Parece que eu preciso pensar em novos discursos... Por isso que tenho tantos posts ridículos e não postados.

music of the day: Clara Nunes - Feira de Mangaio

Desconheço o autor

2 Comments:

Anonymous Aninha said...

As vezes tb acabo escrevendo sobbre as mesmas coisas...mas acho que isso é bom pq agt sempre pensa meio diferente sobre o mesmo assunto...e vc escreve coisas ótimas!

=)

teadoro!

12:20 AM  
Anonymous ianniu said...

eu não gosto dessa musica.
mas a letra dela eh bem boa..
to ouvindo nesse isntante a musica tema de Brokeback Mountain.
tão linda!
existem coisas lindas tristes e coisas lindas alegres e esse eh um fator que me abranda a raiva de voltar ao assunto querendo e não querendo..

sempre teremos pontos dualisticos...

te dedico Ceumar- Avesso
Acabou de começar.
;)

3:42 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home