quinta-feira, junho 01, 2006

period it!

Começe a escrever uma só palavra interminável palavra que está presa na garganta até que você captura na ponta da língua sem mais nem menos e puxa e puxa e puxa que nem um fio até que da boca do estômago TUM sai uma rolha presa na ponta e você inteiro ou inteira total e inexoravelmente vc é tragada pelo redemoinho e como se fosse você acordando de um sono profundo vc não desce mas sobe e acorda e tudo é mais ou menos o que parece e não há mais palavra pra vc falar nem nada e cobram vc para que vc fale mais e mais e mais e eles não entendem que ele não está no ar e vc não acha e vc fica com raiva deles e então se droga pra tentar sonhar com as palavras voando na frente dos seus olhos novamente e daí não sabe mais como parar de descer pro sonho pq descer é muito mais fácil que subir todo mundo sabe disso mas parece que os agentes não mas pitomba els são tudo o q vc tem pra se chamar vida normal e não há vida normal só sensações e palavras intermináveis e trens andando em pé sobre pranchas de surf em forma de celulares Siemens A52 espelhado onde tem aparecendo que uma mensagem está te esperando e você abre esperando que é um espetáculo mas um punhado de letras e vc responde involutariamente pedindo mais e vc acorda numa banheira pelado com duas mulheres se beijando no lado e então vc diz pra si mesmo que essa não é a vida que vc quis cheias de palavras intermináveis que chovem no seu peito feito balas AR-15 e de paintball verdes atingindo o visor do seu capacete e vc e vc e vc e vc e vc não pára de aparecer nas suas palavras intermináveis e ninguém quase ninguém mais aparece e todos chamam sua atenção mas é tarde demais pq só existe vc e vc e vc e vc e seu quarto está fechado e a palavra interminável está escrita a unha em todos os cantos do seu quarto pq a madeira do seu lápis grafite já acabou e o plástico do tubo da caneta não sai nada e todos os anos todos os anos em que vc escreve palavras intermináveis vc não percebe que não é mais eles pedindo pra vc suas palavras intermináveis nem ninguém pedindo pra entrar entre os vcs de seus vcs nem porra nenhuma mas pra vc acordar pelo amor de deus pq há fogo na sua vida e ela que é única nunca pediu por palavras intermináveis pq vc precisa respirar enquanto fala e não usar tubos enquanto vc está em coma sem dizer palavras nenhumas e então aí está o médico que te falam que vai te ajudar a não mais sonhar e ficar dizendo toooooodas essas palavras intermináveis e ele diz que é tudo muito simples disse e disse com essas palavras termináveis disse que vc tinha que achar vc mesmo pq psicólogos não são guias e vc fica fica fica ignorando as palavras intermináveis zumbindo na sua cabeça e vc está corajosamente ignorando e o médico do seu lado e seu corpo já vazio de vida dando cabimento para seu último suspiro que nunca acontece pq os diabos das palavras intermináveis nunca terminam mas vc pergunta e o médico do seu lado segura sua mão e vc olha entre os traços finos dos seu olhos as pessoas que amam vc e que amam por suas palavras intermináveis foram as drogas choravam as merdas das drogas doutor e pedindo o que sua vida lhe pediu sempre e vc percebe que a única coisa de que precisou pra acabar com todas as suas infinitas palavras era de um ponto.

music of the day: Chico Buarque - Pequeña Serenata Diurna

"Não há o que perdoar
Por isso mesmo é que há de haver mais compaixão..."
Gilberto Gil - Drão

1 Comments:

Anonymous ianniu said...

eu uma vez fui comer uma tripa e ela num se partia.
rodrigo, ela foi fundo viu? quase q eu num aguentava
:O


escrita automatica me acompanhou muito no 2º.
mas eu deixei de lado pq faltam papeis por perto.

vc tem medo de suas palavras?

3:08 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home