sexta-feira, julho 14, 2006

keep making questions about it!

A história é de uma menina cuja casa é invadida por lobisomens. Eles não têm nenhum efeito de computador, são tão lobos quanto os lobos, só que providos de alguma inteligência humana, fria e mortal. Um deles mata o "pai" dela. Depois disso, todos vão embora e ela cheia de desespero e medo foge, pra algum refúgio. Mas neste mundo estranho e vasto, não há refúgio, mas buscas sem fim...

O mundo em questão é estranho. Estranho para espectadores que olham para uma poesia como um ninja em pé sobre um caule de uma flor com descrença e desprezo. O mundo não é composto de mar, mas de ar... Continentes têm tantos tamanhos e são tantas as ilhas e são todos todos flutuando no ar sob uma corrente de ar como se zepelins fossem, passeando lentamente (Estariam lentos? Estariam parados? Estariam em velocidade tamanha? Não há como dizer, neste mundo onde algumas, e só algumas compreendiam a natureza e a física deste lugar) sob um céu cheias e cheias de nuvens e chãos fragmentados, e fundo desconhecido. Poucos lugares se comunicavam uns com os outros. Menos ainda mantinham-se comunicadas.

Na ilha desta menina, onde muitos campos e muitas montanhas existiam, existiam também muitas rochas que foram montanhas e com as pedras destas montanhas, ergueram a metrópole, cidade solitária e imensa, tão imensa que até as árvores mendigam, e os campos se desertificam e a mata outrora densa, tornam-se ralas... Há rios que são alimentados pelas chuvas e há lagos e há um lago e um rio na metrópole que recebe dejetos q no fim cai pelo vão infinito da foz deste rio.

E há em volta da metropole a cidade satélite, onde toda a violência e desigualdade tem um lar... Qualquer um que entra ou sai da metrópole passa por este distrito. Qualquer um que tenha atrevimento.

...

E tudo tudo tudo pode ser criado tudo por causa de uma pergunta simples:

E se houvesse um mundo feito de ilhas flutuantes?

E Deus então vai responder: "Haja luz!"

^^

music of the day: Yann Tiersen - La Noyee

""Justo é o sutiã, que oprime os grandes, levanta os caídos, e protege e disfarça os pequeninos!""desconheço (mas se alguém souber me avise!)

2 Comments:

Blogger Monocóvica said...

Texto interessante.
Música desconhecida, porém francesa.
Frase maliciosa!

2:49 AM  
Anonymous ianniu said...

opressão....

3:49 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home